terça-feira, 14 de maio de 2013

14/05/2000 - um jogo para a vida


Já foi há tanto tempo!?!?!?
Estava a fazer o périplo pela nossa blogosfera quando "esbarrei" no post do cacifo do paulinho.
Li e reli, degustando cada palavra o que lá estava escrito.

Fez-me partir para aquele dia, ou melhor para aqueles dias...

Umas semanas antes, vim a Lisboa ver o nosso Sporting com o fcp.
Fui para a bancada nascente.
Estava criado um clima de confiança.
Apesar de estarmos atrás dos tripas, havia fé, fezada, optimismo, confiança, eu sei lá...
As contratações no mercado de inverno, foram cirúrgicas.
Aquele jogo tinha de ser nosso.
Em caso de vitória, ultrapassávamos o fcp e o salto era... para o 1.º lugar.
Estava um ambiente fabuloso.

O mestre André Cruz fez um golo de levantar o estádio.
Um golo do outro mundo.
Desci, quatro ou cinco lanços de escada, abraçado a quem estava a meu lado.
O secretário acessorou o grande Acosta para o 2.º golo.
Ganhámos o jogo!!!
O ambiente dentro do estádio, ao sair do estádio e fora do estádio foi uma coisa inacreditável e inenarrável.
Só mesmo quem lá esteve.
Eu vi gente nas ruas adjacentes ao estádio, nus, a subir carros, a parar carros na estrada, meu Deus, nunca esquecerei aquele momento.

Chegados ao último jogo, dependíamos de nós para sermos campeões.
O Sporting jogava na cidade invicta e o fcp ia a Barcelos.
O Salgueiros lutava pela manutenção.
Naquela semana todos queríamos estar no estádio.
O presidente do Salgueiros, josé antónio linhares, colocou os bilhetes a 20 contos.
Uma exorbitância, um acto pornográfico com a complacência dos regulamentos e de quem geria o futebol.

Eu e os meus colegas do costume tínhamos de lá estar.
Falamos com o núcleo A e núcleo o B.
Conseguimos arranjar bilhetes a preço bem mais acessível.
Disseram que foi o José Roquette que os pagou e disponibilizou aos núcleos.

E no dia 14/05/2000, domingo, lá estavamos a caminho do velhinho Vidal Pinheiro.
Ainda não acreditávamos que seriamos um dos privilegiados a lá estar, no entanto, a tensão do momento era tal, que só falávamos no título, na vitória, no jogo.

A primeira parte foi morna e sem golos.
A ansiedade aumentava.
No intervalo, apesar de sabermos do resultado do fcp frente ao Gil, o receio do azar, de um golo fortuito do Salgueiros passava pela mente de todos.
Começou a 2.ª parte e, golo, golo, golo e golo!!!
Pelo meio, ainda me lembro de um lance que ficará para sempre na minha memória: Peter Schmeichel, em cima da linha da baliza, para a bola de peito e remata para a frente de pontapé de bicicleta.

O jogo terminou, campeões, nós somos campeões!!!
Foi a loucura!!!
Ninguém queria sair do estádio.
Na bancada, dava para olhar por cimo do muro para fora do estádio e... já era um mar de gente, não se sabe saído de onde.
Num mar de abraços, misturado de lágrimas, a saída do estádio fez-se de forma muito lenta.
Cá fora, entre a loucura geral, lembro-me de um homem de cor negra, com uma grande imagem de Nossa Senhora de Fátima.

Rumo à minha cidade, a rádio dava conta dos festejos por todo o mundo.
Quando cheguei à minha terra natal, era a loucura geral.
Com um mar de Sportinguismo inacreditável.
Gente que chorava, gritava, beijava, abraçava.
Gente que se deitava na estrada, como forma de extravasar toda a felicidade contida durante anos.

Grande Sporting!!!
Foi muito bom recordar estes momentos que ficaram para toda a minha vida.

4 comentários:

  1. Também estive nessa bancada - também vi os grandes golos de Andre Cruz e e Acosta e a excelente assistencia de Secretario.

    E se de uma vez por todas caminhassemos todos para o mesmo lado - pelo menos até ver o que esta direcção consegue fazer.

    È que é a CS, os arbitros, os lampiões e os corruptos contra todos a quererem-nos fazer a folha - se continuamos a dar tiros nos pes então é que nunca mais reviveremos esses tempos.

    Não venham dizer que agora é que me lembrei disso porque sabem que não é verdade - GL teve o apoio de grande parte dos Sportinguistas, pelo menos durante 1 ano e tal até a merda que fez começar toda a cair sobre ele.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. E eu nessa dia chorei como uma Madalena!

    Residia e trabalhava no estrangeiro.

    Deitei-me muito tarde e gravei o jogo e tudo o que se seguiu transmitido pela TV.Guardo essa gravação como uma relíquia.

    No dia seguinte passei a manhã a ver a gravação, acompanhado do meu filho de 10 anos. Esse momento ajudou-me muito a fazer dele o grande sportinguista que é hoje.

    O meu orgulho!

    E ainda tenho essa cassete, guardada como uma reliquia

    ResponderEliminar
  4. O post é sobre um dia e uma data gloriosa, mas o 1º comentário aproveita a oportunidade para falar em união. Agora já interessa união, anteriormente aos 2 minutos de jogo a equipa era assobiada a ver se perdia para o BC ir para o poleiro, agora como já lá está é preciso união...É preciso ter lata! o 2º comentário é de uma atrasado mental e porco sujo, que pensa que está a falar com o pai! E assim vai a blogosfera leonina. Já perdi a vontade de escrever sobre esse magnifico dia, um dos melhores dias da minha vida, um dos dias que chorei de alegria pelo nosso querido Sporting.

    ResponderEliminar